Amor.com e demanda da internet

Imagem relacionada
Ano de publicação: 2017



Direção: Anita Barbosa


Gênero: Romance | Comédia

Katrina (Isis Valverde) é uma famosa blogueira de moda que dita tendências no mercado brasileiro através de seus populares vídeos na internet. Fernando (Gil Coelho), por sua vez, é um vlogueiro de um canal de videogames que ainda não é muito famoso, mas que já está fazendo certo sucesso. Quando os dois se conhecem, em uma situação
 complicada, acabam se apaixonando e o romance dos dois ganha destaque na internet.





Nesse mês de fevereiro, eu assisti ao filme Amor.com. Esse filme nacional, encontrado por mim totalmente por acaso, me deixou muito orgulhosa. Não por ser uma grande produção do cinema ou por ter uma história complexa com personagens incríveis. Me deixou orgulhosa porque me levou a umas reflexões sobre a sociedade de hoje em dia, as quais serão discutidas nesse post.

No fim do filme, a própria personagem principal assume que mudou quem era para manter uma imagem, para suprir os gostos do público e com isso se esqueceu de quem era e quais eram seus objetivos. Essa declaração dada por ela me fez pensar em como hoje em dia, praticamente tudo gira em torno de imagem: a família perfeita, que na verdade tem milhões de problemas, a mulher perfeita, que na verdade não se aceita, então busca a aceitação nas outras pessoas, a visão do corpo perfeito, que na verdade só pode ser alcançado a partir de distúrbios alimentares, etc. Não importa quantos problemas você enfrente ou o quanto aquilo se diferencia do que você realmente gosta, desde que as pessoas não saibam a verdade, tudo está ótimo.

O filme também me fez pensar em como isso não é culpa apenas dos produtores de conteúdo, mas do público. Este exige essa imagem perfeita, então as pessoas mudam para suprir essas necessidades. Eu comecei a mudar, mesmo que não fosse minha intenção. É praticamente espontâneo, sem querer. Eu queria ser autêntica, única, mas acabei igual a todo mundo, postando as mesmas coisas e falando do mesmo jeito.

Essa perda de identidade não faz bem para aquele que transmite o conteúdo, pois aos poucos aquilo que ele faz vai deixar de ser algo prazeroso, vai se tornar uma obrigação e com o tempo a qualidade vai cair. Além disso, todos se padronizam e não existe mais conteúdo diversificado. Foi por isso que fiquei triste quando percebi que estava mudando.

Outra coisa pontuada pela filme é a intromissão dos telespectadores na vida pessoal dos envolvidos com a internet. Não é de hoje que me questiono por que é importante saber com quem Bruna Marquezine está namorando, por exemplo, ou então como a ex-namorada de não sei quem já seguiu em frente. Gente, a vida pessoal de ninguém diz respeito a ninguém. A pessoa tá escondendo o namorado(a) porque não quer que ninguém saiba quem é, não é um convite para bisbilhotar a vida dela. Tem vezes que a coisa se torna tão absurda que o público fica dando pitaco na vida deles!

Resumindo, as mensagens que eu quero passar são:
  • ou você consome o conteúdo da pessoa sem exigir que ela mude, ou você não consome
  • vamos ter mais respeito com quem é famoso, porque eles também são gente
  • bora para de dar pitaco na vida alheia e começar a cada qual cuidar do seu cada qual 
Um beijo,
Aninha


Nenhum comentário:

Postar um comentário