Legend - Marie Lu | Resenha

O que antes for a o Oeste dos Estados Unidos é agora o lar da República, uma nação perpetuamente em guerra com seus vizinhos. 

Nascida em uma família de elite em um dos distritos mais ricos da República, a adolescente de quinze anos June é um prodígio, prometida ao sucesso no mais alto círculo militar do país. 

Nascido nas favelas, o adolescente Day é o criminoso mais desejado do país. Mas sua motivação pode não ser tão maliciosa quanto parece. 

De mundos muito diferentes, June e Day jamais cruzariam o caminho do outro, até o dia em que o irmão de June, Metias, é assassinado e Day se torna o principal suspeito. Presos em um jogo de gato e rato, Day está correndo para salvar a vida de sua família, enquanto June deseja vingar a morte do irmão. Mas em uma chocante reviravolta, os dois descobrem a verdade sobre o que realmente os uniu, e até onde seu país está disposto a ir para guardar seus segredos.


Editora Rocco | 256 páginas | Skoob




Eu nunca tiver interesse real em ler esse livro, li apenas por indicação da minha melhor amiga. Mas quando terminei de lê-lo, a única coisa que passava pela minha cabeça era: 'MEU DEUS! Por que não li esse livro antes?'

Não sabia direito sobre o que se tratava, apenas imaginava que era uma mistura de Jogos Vorazes e Divergente, mas, apesar de ser um pouco disso, fui incrivelmente bem surpreendida! Não sei se foi por causa da TPM, mas eu me emocionei muito no final e me entreguei totalmente à história, me apaixonando. Graças ao bom Deus, ainda tenho mais dois livros para me deliciar! 

Não foi amor à primeira vista, mas com o decorrer do livro, as coisas foram ficando cada vez mais interessante e me levando a pensar cada vez mais sobre coisas as quais nunca havia parado para pensar antes.


Para mim, foi bem difícil de entender a organização da República, o governo distópico retratado, e suas relações com as demais 'nações'. Mas, com o tempo e à medida que algumas informações eram reveladas, tudo começou a fazer sentido e tomar forma na minha cabeça. Esse governo e a história do livro de uma maneira geral me fizeram criar várias teorias e hipóteses (o que foi muito prazeroso) e também refletir bastante, sobretudo em relações a alguns modelos políticos do passado (e talvez do presente).

Uma das coisas que me ajudou a compreender melhor a República foi o fato de o livro ser narrado de dois pontos de vista opostos, dando uma dinâmica interessante à história. Achei cuidadoso e criativo por parte da editora alterar a fonte de acordo com os pontos de vista, dando um visual interessante ao livro.


No início, o romance entre June e Day é bem previsível e eu não estava muito satisfeita com isso. Um pouco mais pra frente, pensei na possibilidade de um triângulo amoroso (que graças a Deus não aconteceu). Mas quando o casal finalmente se uniu, eles eram tão fofos e tinham tanta química que eu me derreti completamente e comecei a shippá-los a tal ponto que sempre que estavam juntos, eu vibrava!

Sobre os personagens em particular, eu gostei bastante da June e sua personalidade forte, mas sua 'cegueira' quanto ao governo e algumas vezes em que ela era meio metida me irritaram em certos pontos da história. Apesar de gostar dela, não me identifiquei com nenhum personagem, me sentia mais como uma secundária torcendo por eles e para que tudo desse certo. 

Os acontecimentos e revelações finais fora bem chocantes e emocionantes para mim e me fizeram derramar lágrimas e mais lágrimas que nunca pensei que derramaria. Já estou muito ansiosa para ler o segundo livro da trilogia e me aprofundar cada vez mais nessa história incrível!


Bom, meus fiotes, foi isso! Espero que tenham gostado da resenha desse livro que eu amei tanto! Eu não fiz um parágrafo contando a história de uma maneira mais aprofundada porque se fizesse isso, certamente daria spoiler. Caso já tenham lido o livro, comentem aqui embaixo o que vocês acharam!




Um beijo,
Aninha



4 comentários:

  1. Oi Aninha, eu disse que você gostaria! Realmente o casal é bem previsível, mas em toda distopia é assim, pelo menos ao meu ver. Desse gênero, Legend foi o único que eu consegui achar, de certa forma, real. Mesmo que os dois personagens sejam guerreiros e se esforcem por sua família, eu gosto de como a autora os lembra que eles, apesar de tudo, ainda são adolescentes. Para mim Legend deveria ser uma leitura obrigatória para quem gosta desse tipo de história. Beijos!

    https://escrevendoerabiscando.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Realmente, é algo que poderia vir a se tornar realidade. Acho impressionante tudo pelo que eles passaram apesar da idade, mas acho que deveríamos ter tido mais um pouco daquelas típicas crises adolescentes, só para tornar mais real.

      Excluir
  2. Oi Aninha!

    Ainda não li o livro que está, por sinal, acumulando poeira na minha estante (vergonha!). Depois de ver que te surpreendeu positivamente com ele, vou colocar na minha lista de leitura urgente! = )

    Beijos
    http://espiraldelivros.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Leia sim! Não posso garantir que viverá a mesma experiência, mas espero que goste tanto quanto eu!

      Excluir